Análise de inFamous

Basicamente,  na grande maioria dos games o jogador é colocado na pele de um herói com o objetivo de salvar o dia. Não se pode dizer que em inFamous o jogador não é colocado para controlar um cara com super-poderes cósmicos fenomenais. Não, em inFamous, você irá vai viver a história de um tipo desses, mas poderá escolher qual caminho tomar: O BEM, ou O MAL, podendo ser um Herói ou um Algoz, dependendo de quais missões participar. inFamous é um sandbox de super herói, algo como um jogo de ação, feito pela Sucker Punch (a mesma que fez Sly), exclusivo para PS3.

A vista de Empire City.

A vista de Empire City.

Os "filminhos" em inFamous

O início do game apresenta uma explosão, e um cara no meio da cratera, em um desenho estilizado, flagrantemente inspirado nos “filminhos” de MGS Portable Ops. O  início é muito simples: Cole é um “officeboy” que foi contratado pra entregar uma encomenda, que acabou explodindo e destruindo metade de Empire City, matando muitas pessoas (entre elas a namorada do protagonista) e produzindo “mutações” e doenças na população local (uma mutação pegou o protagonista). O cenário é de desolação e abandono, pois o Poder Público se foi junto com o asfalto, ficando somente a desordem e uma cratera enorme hehe. A sociedade das ilhas foi isolada e ninguém mais pôde sair para o continente, facções foram criadas e o maior perigo ficou por conta dos Reapers, uns populares que ficaram malucos em razão, aparentemente, da explosão (saberemos, depois, que esse não é o motivo imediato da loucura dos reapers). Enfim, este é o panorama INICIAL.

Cole aqui parece ser um mal caráter de olhos juntos.

Cole aqui parece ser um mal caráter de olhos juntos.

inFamous é um sandbox, como GTA, mas o jogo é muito mais divertido que GTA4, ao menos na minha opinião. Digo isso pois é sempre mais legal sair escalando paredes como o homem aranha e soltar raios como o Rainden (caso você goste de Mortal Kombat), ou como Zeus (se você for fã de God of War) ou até como o Shoker (caso você seja um fã incondicional de Spider-Man hehe). O desenrolar do jogo dentro da sandbox se dá todo na base de missões de enredo, que não se diferenciam muito das sidemissions, pois há uma ligação muito forte entre as missões-de-enredo com as sidemissions, pois ambas têm razões semelhantes e concernentes ao seu alinhamento maniqueísta (Não entendeu? As missões têm sempre as mesmas razões de existência, dependendo de seu alinhamento ao bem ou ao mal. Agora entendeu.). Há muita variedade de missões, muitas mesmo, tanto que até missões stealth o jogo tem.

Isso sim é surf ferroviário.

Isso sim é surf ferroviário.

A movimentação do personagem é totalmente livre pela cidade, e ele é profissional em le parkour e escalada. Se pá, deve ser um dos descendentes do Altair. Como em Assassins Creed, o personagem anda, corre, pula, escala, surfa (nos trilhos ou em fios) e até voa, tudo livremente por todo o cenário. Várias dessas maneiras de locomoção são poderes que o personagem vai ganhando, assim como os “tiros” de raios (inclusive sniper), pulos-bomba eletrificados, cura (caso você seja um bom mocinho), “suga-vida” (caso você seja um menino mal), e até um empurrão (que não é da Força) bem parecido com o do Aprendiz (de TFU, não daquele programa da Record). O jogador pode comprar esses poderes (ou evoluí-los) com os pontos de experiência  que ganha passando missões e derrotando inimigos. Essa evolução é necessária, pois o desafio do game aumenta muito conforme o jogo se desenvolve. Caso você seja um mão de vaca, simplesmente não haverá como matar certos chefes, que sempre proporcionam batalhas super excitantes. A única deficiência insanável do personagem é não poder passar nem perto de água hehe.

Os gráficos são bons. Confesso que não entendo muito de gráficos, mas, pelo tamanho do cenário bem detalhado e a drawdistance do game, não há como reclamar muito. Por vezes podemos observar algumas partes pixeladas, mas, os efeitos de eletricidade, explosões e até de calor são muito bem feitos, e bonitos. Os populares são variados e reagem bem convincentemente na presença do herói (ou do vilão) e de certos perigos. No entanto, o que não tem como não falar é a mais perfeita animação de queda já feita em um jogo. Se vocês ficaram boquiabertos com Altair saltando da torre daquela mesquita em Damasco, não vão achar nada demais esse grande salto depois de verem Cole pulando de um prédio. O efeito é tão bem feito que dá frio na barriga MESMO, pelo menos em 5/5 dos cobaias (três deles nem videogame têm, gostam só de PES) que pedi para pularem do predinho para ver se sentiam a mesma sensação que tive.

Os efeitos sonoros são bons, só isso. A trilha sonora é legalzinha, mas nem tanto. O que interessa é que ambos são bem pertinentes aos momentos dos games.

Opiniões à parte, o único fato é o jogo ser IMPERDÍVEL. Se você gosta de uma boa história, o game é muito competente nesse ponto, pois o enredo é de fato muito instigante. No entanto, se você só quer ver o circo pegar fogo, também o jogo serve muito bem, pois a jogabilidade quase não tem defeito, e sempre há o que fazer, muita coisa pra fazer, aliás. Independente do seu ismo, inFamous merece ser jogado, pois não é sempre que encontramos um jogo de ação com TPS misturado com platformer hehe.

NOTAS:

Enredo: 9,0

Jogabilidade: 10,0

Som: 9,0

Gráficos: 8,5

MÉDIA: 9,0

 Desculpem-me algum erro de inglês ou português. OBRIGADO POR LEREM!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: